20.9.06

46

Nada de corpos felizes, dias perfeitos e/ou sorrisos eternos... só quero a beleza e a destreza pra transformar em até breve o provável adeus!

3 comments:

Flávia said...

Eu me recordo, e repito os mesmo velhos erros. Eu vivo a roda viva dos solitários. Dou os tiros certos e me privo das sensações novidadeiras que n’alguém ou algum lugar existem e me esperam. Eu abdico das buscas pelos antigos encontros e estagno. Termino sempre nas mesmas paragens, nas mesmas camas impregnadas de mofo e do meu cheiro.

Termino e me escondo em mantos de vazio.

Eu beijo beijos prescritos. Finjo desejo, simulo orgasmos.

Eu me engano e resigno. Acredito em bem-me-queres que desmoronam logo após. Acredito em todas as mentiras de alcova que me contam.

Eu me contento com as mesmas fodas vencidas enquanto sonho com delicadezas novas em folha.

Tiago said...

é aquele tal negócio: se é amor, tem tudo pra acabar.

Flávia said...

a suegunda impressão: preciso parar com o álcool. não é pq fui uma criança sem mtos limites que vou extrapolar todos eles na maturidade!

desencana...